sábado, 31 de março de 2012

Fogo


Acabei de ler sua carta, provavelmente pela milésima vez. Lembra quando você a colocou em meu caderno? Encontrei-a durante alguma aula chata cerca de um ano atrás. Foi aí que percebi que você realmente me amava... Agora percebo o quanto relutei, o quanto tentei matar esse sentimento, o quanto fui idiota! Sinto falta de você, do seu sorriso sincero, do seu abraço caloroso e acolhedor, que sempre me fazia bem, dos selinhos roubados... Mas você já disse que mudou seu jeito de pensar e de agir, então não posso fazer mais nada... Sei que te perdi há tempos, que se tornou tarde demais para tentar avivar qualquer sentimento seu por mim; agora vejo que aquela música que você me mostrou dizia exatamente tudo o que eu fazia... Eu jogava com seus sentimentos sem nem ao menos perceber. Só me resta pedir perdão.

sábado, 17 de março de 2012

Aprendi


Eu aprendi com uma pessoa que o tênis All Star tem que ser bem sujo. Aprendi que dente de roqueiro que se preze tem que ser amarelado. Aprendi a apreciar as músicas e ouvir, particularmente, o som de cada instrumento, em especial o que essa pessoa tocava. Aprendi a não ligar para a opinião dos outros e a fazer meus próprios julgamentos. Aprendi a amar verdadeiramente e aprendi que amor não precisa de sexo para ser completo. Aprendi a ser carinhosa com as pessoas e que um afago pode ser mil vezes melhor que um beijo de língua. Aprendi a viver o momento e perceber que os melhores ficam marcados para sempre. Aprendi que uma pipoca com manteiga suja mais do que aparenta. Aprendi que as diferenças completam e que as coincidências mais ainda. Aprendi que um simples "Eu gosto de você" é mais complicado de ser dito do que parece. Aprendi que um "Não" também é bastante complicado. Mas, principalmente, aprendi que, depois de um tempo, tornou-se fácil demais superar a pessoa que me ensinou tudo isso...

domingo, 11 de março de 2012

Untitled #01


"Sabe Hachi...
Eu não posso mais ser...
A heroína da sua história.
Mas, ainda hoje, a heroína
Da minha história se chama NANA.
É você, linda como sempre."
(Oosaki Nana - Cap. 35)