quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Um dia tudo será permitido


Antes de ele partir, ela apertou sua mão. O movimento leve após isso fez com que o contato entre suas peles cessasse. E ela não pode fazer nada, a não ser observá-lo se afastar. Ela queria ir atrás, correr até alcança-lo para então roubar-lhe um beijo, mas ela sabia que aquilo não seria permitido. Ela apenas o deixou partir, como fizera tantas vezes antes. Ela era uma pessoa que se permitia apaixonar, se entregava ao sentimento, mesmo sabendo que sentimentos quase nunca são correspondidos. Ela apenas pensava que deveria amar a vida e amar as pessoas que passavam pela sua. Mas com ele era diferente. Porque ele se entregava da mesma maneira. Mesmo que fosse proibido.

Ela o observou partir e decidiu esperar. Um dia, talvez, ele voltasse. Enquanto isso, ela se deixaria apaixonar mais vezes até que ele voltasse e dissesse que, finalmente, tudo seria permitido.